Paróquia Santo Anatácio
  Horários de Missas
  TERÇA 07h00 - MANHÃ
QUINTA 19h30 - NOITE
SEXTA 07h00 - MANHÃ
SÁBADO 18h30
DOMINGO 08h00 - 10h00 - 19h00
   

O Padroeiro

Por iniciativa do Padre Heriberto Goetersdorf e de alguns católicos anastacianos, no ano de 1929 foi solicitado ao Bispo Diocesano de Botucatu, Dom Carlos Duarte Costa, a nomeação de um padroeiro para a paróquia. Com isso, por determinação verbal de Dom Duarte, a 7 de janeiro daquele ano, passou a ser considerado como padroeiro da paróquia, o "Santo Anastácio", nascido na Pérsia. Segundo a Lei Municipal nº 878 de 16 de dezembro de 1977 ficou declarado também esse mesmo santo como padroeiro da cidade.

 

 

 

 

HISTÓRIA DO SANTO PADROEIRO

No ano de 614, o rei da Pérsia chamado Chosroas, invadiu a cidade Jerusalém, e nesta ocasião se apoderou do "lenho santo" e levou-o consigo. Deus serviu-se deste fato para operar a salvação de muitos persas. Um deles foi Anastácio, filho de um celebre feiticeiro.

A santa Cruz, de que tanto se falava, excitou-lhe também a curiosidade e o desejo de vê-la. Sem ter a intenção de abraçar a religião de Cristo, nela se instruiu e a admiração crescia-lhe, à medida que se aprofundava nos santos mistérios. Depois de algum tempo, se dirigiu a cidade de Hierápolis, hospedando-se em casa de um cristão. Este, no intuito de evangelizá-lo, convidou-o para assistir a diversas reuniões cristãs.

A vida de Jesus e o testemunho dos santos mártires tocaram-lhe o coração, bem ao vivo, convertendo-se ao cristianismo. Após longa preparação recebeu o batismo e entrou para um convento em Jerusalém. Anastácio tinha um zelo tão vivo e ardente, que em pouco tempo, entre os irmãos, era o primeiro em virtude e santidade.

Tinha por leitura predileta, além da Bíblia, a história dos mártires, tanto assim que lhe ardia um grande desejo de também ser martirizado. Diante do governador, declarou que havia abandonado a magia para ser cristão. Diante de tal afirmação Anastácio começou sofrer séria perseguição. Mas continuou firme em sua fé. Anastácio, porém, para tudo só tinha uma resposta "Sou cristão e como cristão quero morrer".

Da Palestina foi Anastácio, por ordem do imperador, transferido para a Pérsia. Lá o esperava o martírio tão esperado. O rei Chosroas envidou primeiro todos os esforços para afasta-lo da religião cristã. Ofereceu-lhe uma alta patente no exército; permitiu-lhe viver como simples monge, contanto que só verbalmente negasse a fé cristã, embora de coração continuasse fiel discípulo de Cristo. "Que mal poderia causar esta negação? Poderia haver nisto uma ofensa a Cristo, se de coração com Ele ficas unido?".

Anastácio declarou que teria horror até da sombra da hipocrisia. De novo lhe foram oferecidas colocações honrosas. A resposta de Anastácio foi a mesma: "A pobreza do meu hábito, disse ao general, fala-te eloqüentemente do desprezo que tenho pelas vaidades do mundo. Honras e riquezas de um rei, que hoje existe e amanhã será pó, não me tentam".

Vendo assim frustradas todas as tentativas, o rei recorreu à tortura. Cada dia era aplicado um novo tormento, experimentada nova provação. Anastácio, porém, preferiu sofrer a negar a fé. O dia 22 de janeiro de 628 trouxe-lhe afinal a salvação e a glória. Esgotadas a paciência e crueldade do rei, deu o mesmo ordem de enforcar e decapitar o santo mártir.

O corpo do santo que tinha sido atirado aos cães, foi por estes respeitado. Foi sepultado por alguns amigos cristãos. As relíquias foram mais tarde transportadas para a cidade de Constantinopla e de lá para Roma. Santo Anastácio é padroeiro dos ourives. É invocado também em grandes tentações, e em casos de possessão diabólica, porque pela aplicação das suas relíquias a um médico persa, possesso, este ficou livre da possessão.

 

ORAÇÃO A SANTO ANASTÁCIO

Ó Santo Anastácio, grande amigo de Deus, que na vida preferiste o martírio a ter que renegar a fé, nós te veneramos pelo ardor missionário que testemunhaste na prática do amor e da caridade.

Vivendo a comunhão dos santos, interceda por nós para que caminhemos ao encontro dos corações sem rumo, para que não nos acomodemos com a indiferença de uma vida sem sentido, mas sim comprometida com a paz, o amor e a justiça.

Como tu, que jamais deixemos de viver a fidelidade a Cristo, mesmo que tenhamos de sacrificar a própria vida. Fortaleça-nos para que sejamos capazes de levar a todos o pão da fraternidade. Proteja nosso povo, nossas famílias, guarda nossos lares e cura nossos doentes.

Faze-nos irmãos na partilha e no amor, para vivermos com fidelidade a nossa fé. Roga por nós e abençoa-nos em nome da Santíssima Trindade, agora e sempre. Amém!

© 2010 Paróquia Santo Anastácio. Todos os direitos reservados.
CNBB Diocese de Presidente Prudente Vaticano Rádio Onda Viva Canção Nova